Search
Close this search box.

Peixes baiacu: Aprenda técnicas para pescar esse peixe venenoso!

Peixes baiacu Aprenda técnicas para pescar esse peixe venenoso!

Quer saber mais sobre os baiacus? Aqui você encontra informações sobre suas características, curiosidades, diferentes espécies e dicas de pesca!

Os baiacus, também conhecidos como Tetraodontidae, são peixes notáveis e únicos do oceano, famosos por sua capacidade de engolir água e ar para inflar seus corpos até três vezes o tamanho original. Encontrados em diversas águas ao redor do mundo, esses peixes são frequentemente capturados por pescadores devido à sua carne, apreciada na culinária asiática.

Apesar de sua popularidade gastronômica, os baiacus são portadores de um veneno poderoso que pode ser fatal para os seres humanos. Neste artigo, exploraremos detalhes fascinantes sobre esses peixes, incluindo sua vida, diferentes espécies, o veneno letal que possuem, além de dicas sobre como localizá-los e capturá-los com segurança.

Descubra mais sobre o peixe baiacu.

O termo “baiacu” tem suas raízes no antigo tupi “baîaku”, que significa ‘algo venenoso’. Este peixe é comum em águas fluviais da América do Sul, especialmente no Brasil, onde é pescado e apreciado como um ingrediente tradicional do sashimi. Vamos explorar mais sobre essa fascinante espécie.

Características notáveis

Conhecido também como “Peixe Balão”, o baiacu destaca-se pela capacidade de inflar seu corpo quando se sente ameaçado, um mecanismo de defesa que assusta predadores com sua mudança repentina de tamanho.

Se enfrentado por um predador, o baiacu pode ser letal, possuindo um dos venenos mais poderosos do reino animal. Uma pequena quantidade é suficiente para matar um ser humano, portanto, é crucial remover todas as partes venenosas antes de prepará-lo para consumo.

Até o momento, foram descobertas cerca de 125 espécies diferentes, com duas delas bastante comuns no Brasil: Colomesus asellus, que vive em água doce e pode atingir até 12 centímetros de comprimento, e Colomesus Psittacus, que pode ser encontrado tanto em rios quanto em mares e pode crescer até 30 centímetros. Há ainda uma infinidade de fatos e curiosidades sobre o baiacu para serem explorados!

Alimentação dos Baiacus

Os Baiacus são conhecidos por sua dieta versátil, sendo considerados onívoros, o que significa que têm uma ampla variedade de alimentos em seu cardápio. Observações e vídeos revelam que esses peixes não hesitam em se alimentar desde pequenas rãs até lacraias e caranguejos. Esse comportamento é facilitado pelos seus dentes, que são perfeitamente adaptados para triturar alimentos duros. Em seu ambiente natural, os Baiacus geralmente consomem moluscos, crustáceos e outros invertebrados, mas não se limitam a isso, também se alimentando de plantas e detritos.

No entanto, em cativeiro, esses peixes podem recusar alimentos secos. Nesses casos, é preferível oferecer alimentos vivos ou congelados. Adicionalmente, é recomendável fornecer regularmente caramujos, mariscos de casca dura ou até mesmo areia calcária para desgastar os dentes dos Baiacus. Isso é crucial, já que os dentes desses peixes estão sempre em crescimento e podem causar problemas se não forem mantidos em um tamanho adequado.

Ciclo Reprodutivo do Baiacu

O período de reprodução do baiacu ocorre durante a época de cheias, que vai de setembro a janeiro. Após a fecundação, a fêmea libera de 3 a 7 ovos, os quais flutuam até a superfície e eclodem dentro de uma semana. Os filhotes então completam seu desenvolvimento e migram para águas mais profundas, onde encontram outros indivíduos da espécie.

Em algumas espécies, é o macho que se encarrega dos cuidados parentais. Quando os ovos eclodem, os alevinos emergem e são protegidos em uma cavidade mantida pelo macho, por cerca de uma ou duas semanas. Após esse período, o macho abandona o local e os filhotes partem em direção ao alto mar.

Alimentação

Os baiacus são verdadeiros comedores de tudo, sendo onívoros por natureza. Eles têm uma dieta variada, que inclui desde rãs até lacraias e caranguejos, como mostram vídeos facilmente encontrados online. Isso se deve principalmente aos seus dentes robustos, perfeitamente adequados para triturar alimentos duros. Em seu ambiente natural, os baiacus se alimentam principalmente de moluscos, crustáceos e outros invertebrados, mas também consomem plantas e detritos.

Quando mantidos em cativeiro, é possível que rejeitem alimentos secos. Nesse caso, é preferível fornecer alimentos vivos ou congelados. Além disso, é recomendável oferecer regularmente caramujos, mariscos com casca dura ou até mesmo areia calcária para ajudar o baiacu a desgastar seus dentes. Isso é importante, já que os dentes estão sempre em crescimento e podem causar problemas se não forem mantidos em um tamanho adequado.

Descubra algumasa espécies diferentes de baiacus!

Até o momento, foram identificadas aproximadamente 125 espécies distintas de baiacus. Entre elas, existem exemplares que podem atingir quase um metro de comprimento, enquanto outros são tão pequenos que mal chegam a 2 centímetros. No entanto, todos esses baiacus apresentam uma beleza única e uma variedade de cores deslumbrantes. Continue lendo para conhecer algumas dessas fascinantes espécies!

Baiacu-arara

Originário do Oceano Atlântico Ocidental, o baiacu-arara também é encontrado ao longo da costa africana. Ele habita áreas costeiras de baixa profundidade e estuários. Na idade adulta, apresenta hábitos pelágicos, preferindo as águas abertas do alto mar, onde vive tanto de forma solitária quanto em pequenos grupos.

Podendo alcançar até 60 centímetros de comprimento, este peixe não possui escamas em seu corpo. Sua coloração dorsal varia entre tons de verde-amarelado e azul-acinzentado, enquanto as laterais são esbranquiçadas e têm pequenos espinhos.

Baiacu pintado:

Os Baiacus Pintados (Dichotomyctere nigroviridis), nativos dos mares asiáticos, podem ser avistados desde as costas da Indonésia até o norte da China. Em cativeiro, podem viver por mais de 10 anos, geralmente medindo 12 centímetros de comprimento, mas podendo atingir até 17 centímetros. Na fase adulta, tendem a habitar rios, córregos de água doce ou áreas alagadas, enquanto os jovens são encontrados em ambientes de água salobra.

Sua alimentação é principalmente baseada em caramujos, embora possam consumir também moluscos, crustáceos e plantas. Ademais, ocasionalmente recorrem à ingestão de escamas de outros peixes.

Em aquários, os Baiacus Pintados podem apresentar comportamento agressivo em relação a peixes de outras espécies, portanto, é recomendável mantê-los em um aquário exclusivo para eles.

Baiacu de Espinho

Conhecido também como Peixe Ouriço e cientificamente classificado como Diodontidae, este tipo de peixe pode ser encontrado tanto no Pacífico Oriental quanto no Atlântico Ocidental, além do Oceano Índico Ocidental. Eles são facilmente reconhecíveis por possuírem espinhos em todo o corpo, sendo esta uma característica distintiva em relação aos seus parentes menos espinhosos.

Essa é a principal diferença que os distingue. Geralmente, esses peixes podem atingir até 40 centímetros de comprimento, embora os exemplares maiores possam chegar a 91 centímetros. Sua coloração varia entre verde-amarelada no dorso e amarela no ventre.

Na fase juvenil, esses peixes preferem habitats pelágicos, permanecendo em alto mar, enquanto na fase adulta, tendem a se abrigar em lagunas e recifes de corais de até 50 metros de profundidade. Durante o dia, os Baiacus de Espinho costumam se esconder sob pedras nesses ambientes.

Quanto à alimentação, esses peixes se alimentam principalmente de ouriços do mar, caramujos e crustáceos. A melhor hora para pescá-los é durante a noite, pois são animais de hábitos noturnos e tendem a caçar apenas após o anoitecer. São geralmente solitários, exceto durante o período de acasalamento.

Dicas de pesca do peixe baiacu

Pescar baiacus não é uma tarefa complicada, mas é sempre útil ter informações sobre o método mais eficaz. Abaixo, reunimos algumas dicas valiosas para facilitar sua pescaria.

Melhores iscas para baiacus
Como mencionado anteriormente, esses peixes têm preferência por alimentos vivos ou congelados, o que se reflete nas iscas ideais para atrai-los.

Iscas vivas como camarão, mexilhão, verme de sangue, pedaços de mugil e lula são bastante eficazes. Se preferir iscas artificiais, as Poppers e iscas softs de plástico são boas opções.

Equipamentos recomendados para pescar baiacus
Não é necessário ter equipamentos muito sofisticados para pescar baiacus. Uma vara de pesca leve com linha relativamente resistente é suficiente, pois esses peixes não são nadadores ágeis. Quanto aos anzóis, é aconselhável usar os de haste longa, com uma chumbada para mantê-los na profundidade desejada.

Técnica de pesca para baiacus
Uma vez localizado, pescar um baiacu não é complicado. O primeiro passo é lançar as iscas na água, preferencialmente utilizando camarões mortos ou outros alimentos presentes na dieta do peixe para atrair sua atenção. Em seguida, mantenha a linha firme na área das iscas para aumentar a sensibilidade às mordidas.

Ao sentir a mordida, dê um suave puxão para fisgar o anzol na boca do peixe. Este é um momento crucial, já que baiacus têm o hábito de roubar iscas, então a reação deve ser rápida para evitar que ele escape.

Após fisgar o baiacu, recolha-o com cuidado. Como eles não nadam muito bem, não oferecerão muita resistência. Ao retirá-lo da água, use luvas para evitar o contato com a pele do peixe, onde a toxina perigosa está presente. Tome cuidado ao remover o anzol, pois os dentes do baiacu são afiados, podendo-se utilizar alicates para isso.

Se planeja consumir o baiacu, evite colocá-lo no gelo após a captura, pois isso tornará a pele do peixe mais rígida, dificultando sua remoção. Em vez disso, mantenha-o em um balde com água até o momento de prepará-lo.

Curiosidades sobre o peixe baiacu

Baiacus são verdadeiramente fascinantes, e as curiosidades sobre eles são infinitas! Abaixo, apresento uma série de fatos intrigantes sobre esses peixes.

Podem ser fisgados com iscas artificiais
Além das tradicionais iscas Popper, as iscas Soft de plástico são igualmente eficazes para atrair baiacus. Elas se assemelham bastante aos invertebrados que muitas espécies desses peixes consomem, o que naturalmente os atrai.

Não são difíceis de pescar
Os baiacus são peixes relativamente fáceis de capturar. Seu tamanho pequeno facilita o processo de içamento, e sua velocidade de nado lenta os torna presas acessíveis quando fisgados. Isso os torna alvos ideais para pescadores iniciantes, inclusive existem programas de iniciação à pesca que ensinam até mesmo crianças a pescar esses peixes.

Possuem uma dentição poderosa
A robusta dentição do baiacu é a inspiração por trás de seu nome científico: Tetraodontidae, derivado do grego que significa “quatro dentes”. Com seus dois dentes inferiores e dois superiores que se encontram no meio, formando uma estrutura semelhante a um bico, ele é capaz de lidar com uma variedade de presas subaquáticas, quebrando cascas de crustáceos e até mesmo mastigando sedimentos em busca de nutrientes.

São especialistas em roubo de iscas
Devido à sua dentição extremamente resistente, os baiacus são mestres em roubar iscas. Muitos pescadores ficam frustrados ao terem suas iscas roubadas por esses peixes, tentando então pescar outras espécies. Portanto, é crucial estar atento às mordidas em sua isca durante a pesca.

Veneno do peixe baiacu

Apesar de sua popularidade gastronômica, o baiacu carrega em seu corpo um dos venenos mais letais conhecidos. Com uma potência mil vezes superior à do cianeto, é crucial remover os órgãos venenosos antes de consumi-lo. A seguir, vamos explorar mais sobre essa substância mortal.

Chamada de Tetrodotoxina, a toxina venenosa presente no baiacu é tão poderosa que apenas 2 gramas podem ser letais para um ser humano, e a quantidade total encontrada no peixe pode ser fatal para até 30 pessoas. Até o momento, não há antídoto conhecido, porém, com tratamento médico imediato, é possível tratar a intoxicação.

O tratamento geralmente envolve uma lavagem gástrica e o uso de medicamentos desintoxicantes. As partes do baiacu que contêm essa toxina incluem a pele, o fígado, os ovários e os testículos.

Sua assinatura não pôde ser validada.
Você fez sua assinatura com sucesso.

Novidades

Acesse nossas atualizações assim que forem publicadas!

O veneno do baiacu é extremamente perigoso, e seus sintomas são alarmantes. Quando exposta à toxina, a pessoa pode primeiro sentir formigamento nos lábios e nos dedos, seguido por espasmos. Posteriormente, o formigamento é seguido por fraqueza muscular, diarreia e vômitos.

Eventualmente, podem ocorrer espasmos nos pulmões, resultando na morte. A maioria das vítimas de envenenamento por essa toxina morre de parada respiratória. Em alguns casos, pode ocorrer paralisia total do corpo, já que o veneno interrompe a atividade cerebral responsável pelo controle dos músculos. No entanto, a pessoa permanece consciente durante todo o processo.

Apesar dos riscos, o veneno do baiacu recentemente foi sintetizado para criar um analgésico poderoso. Em doses extremamente pequenas, essa medicação pode aliviar completamente dores corporais. É comumente utilizada em pacientes com câncer.

Veja também uma airfryer para fazer aquele peixei delicioso.

Descubra uma variedade de produtos destinados à pesca.